Projeto de geração compartilhada beneficiará 200 pequenas e médias empresas no Rio de Janeiro

Projeto de geração distribuída beneficiará em torno de 200 pequenas e médias empresas na Light no Rio de Janeiro.

COSOL.SOLAR


Projeto fotovoltaico de 1,24 MW de potência instalada será capaz de suprir a demanda energética de 200 pequenas e médias empresas na região da distribuidora LIGHT, na capital do Rio de Janeiro. A iniciativa foi conduzida por um casal de engenheiros e fazendeiros locais, em parceria com a COSOL para desenvolvimento e gestão do projeto.

Após celebrar a hospedagem de uma usina de 4 MW, também em parceria com uma empresa do setor fotovoltaico, em sua propriedade, o fazendeiro viu os benefícios da geração de energia solar e decidiu realizar o investimento para construir sua própria mini usina. A COSOL, por sua vez, trouxe o know-how técnico e comercial para realização do projeto e sua gestão.

A usina entrará na modalidade de geração compartilhada e consórcio, a qual pequenas e médias empresas pagarão um aluguel pela potência instalada necessária para suprir sua demanda energética durante o ano por meio de cotas de geração via Marketplace COSOL.

As empresas que contrataram um percentual da usina terão o beneficio de promover uma real sustentabilidade na demanda energética, sem realizar qualquer investimento, e ainda terão um desconto médio de 15% na fatura de energia.

Faça que nem o empresario do Rio de Janeiro, contrate os serviços COSOL para viabilizar este modelo e vire um empresário do setor renovável ou simplesmente alugue uma mini usina para sua empresa.

Governo Bolsonaro estuda barateamento da Energia Solar Fotovoltaica

O ATUAL GOVERNO ESTUDA O BARATEAMENTO DE ENERGIAS RENOVÁVEIS COMO FORMA DE INCENTIVO AO CRESCIMENTO DO MERCADO E DE DIVERSIFICAR A MATRIZ ENERGÉTICA BRASILEIRA

O vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), eleito pelo estado do Rio de Janeiro e filho do presidente da República Jair Bolsonaro, declarou neste domingo (6 de Outubro) que o governo está estudando o barateamento da energia solar fotovoltaica.

"O Presidente Bolsonaro pediu aos técnicos do governo estudos e números para viabilizar barateamento da energia solar e suas aplicabilidades para o consumidor"

A energia solar fotovoltaica no Brasil foi homologada pelo governo em 2012 através da Resolução Normativa 482/12 da ANEEL, Agência Nacional de Energia Elétrica, sob os auspícios do Ministério de Minas e Energia (MME), três anos depois, em 2015 o país teve outra regulamentação que define os parâmetros para Geração Distribuída através da Resolução Normativa 687/15. Desde então houveram poucos incentivos para Energia Solar Fotovoltaica no Brasil e alto índice de tributação sobre mercado de energia solar.

O Presidente Bolsonaro e seus filhos: Eduardo Bolsonaro, Carlos Bolsonaro afirmou que o pai pediu estudos sobre energia solar

O Presidente Bolsonaro e seus filhos: Eduardo Bolsonaro, Carlos Bolsonaro afirmou que o pai pediu estudos sobre energia solar

Na publicação, Carlos fez menção a uma conversa de Bolsonaro com um seguidor pelas redes sociais. No diálogo, o seguidor pede ao presidente para baixar o imposto que incide sobre as placas solares, o Presidente respondeu em seguida que encomendou estudos.

A energia fotovoltaica é uma tecnologia nova presente na matriz elétrica brasileira, e que nos últimos anos tem demonstrado um forte interesse da população e também em razão do ganho de competitividade que essa tecnologia traz.

A fonte está se tornando cada vez mais barata e acessível. Hoje, o Brasil tem menos de 1% da sua matriz elétrica atendida por energia solar fotovoltaica. Então, é uma tecnologia que ainda está em fase de inserção na nossa matriz juntamente a outras tecnologias como Blockchain e IoRE.

Chineses querem grandes investimentos em energias renováveis no Norte de Minas Gerais

Representantes Chineses participaram do I Seminário Inovação de Comércio e Serviços China-Brasil, executado no Jardim de Exposições, dentro da esboço da 24ª FENICS, em Montes Claros, região norte de Minas Gerais.

O seminário contou com a participação de um cônsul chinês, do governador do do Estado, Romeu Zema, e de vários representantes de essenciais companhias chinesas. O propósito do seminário foi promover a assessoria entre China e Montes Claros, incentivando parcerias nos negócios e o desenvolvimento econômico da Energia Solar no Norte de Minas Gerais.

A SAM, coordenada pelo CEO Jin Yongshi, planeja grandes investimentos em energia renovável no Norte de Minas Gerais. A empresa está fazendo uma sociedade com as chinesas CTG e CGN para espalhar em Montes Claros uma planta de 1 GW de potência instalada. E também está viabilizando a retorno da State Grid, 5ª maior companhia do mundo, para realizar novas linhas de transmissão de energia elétrica e deixar a instalação de novos sistemas fotovoltaicos na região, com geração de empregos e renda.

A 24ª edição da Feira Nacional da Indústria Comércio e Serviços de Montes Claros (MG) começou nesta quinta-feira (12). O evento destina-se a ser executado até o domingo (15), das 19h até meia noite, no Parque de Exposições João Alencar Athayde. A probabilidade do público é de 100 mil indivíduos. A Fenics é promovida pela Associação Comercial Industrial e de Serviços de Montes Claros (ACI) com o auxílio da FIEMG Regional Norte.

De acordo com a organização, 250 estandes de vários segmentos foram montados no local.

Representantes chineses no 1° Seminário Inovação China-Brasil

Representantes chineses no 1° Seminário Inovação China-Brasil

Consumidores poderão escolher seu fornecedor Energia Elétrica

O Ministério de Minas e Energia (MME) divulgou esta semana uma consulta pública relacionada a Ambiente de Contratação Livre (ACL). Com o intuito de levantar subsídios para ampliar o acesso ao chamado Mercado Livre de Energia, que permite os consumidores escolherem seus fornecedores de eletricidade.

Para que consumidores de diferentes limites de carga possam contratar e escolher seu fornecedor de energia, o MME sugere realizar uma alteração em sua portaria divulgada em dezembro do ano passado, que estabeleceu um cronograma de redução dos limites de carga. A partir de 1º de janeiro de 2021, consumidores com carga igual ou superior a 1.500kW, atendidos em qualquer tensão poderão optar pela compra de energia elétrica a qualquer concessionário, permissionário ou autorizado de energia elétrica do Sistema Interligado Nacional (SIN), este limite cairá um pouco mais conforme o decorrer do cronograma.

Consumidores de Energia Elétrica poderão escolher seus fornecedores

Consumidores de Energia Elétrica poderão escolher seus fornecedores

A partir de º de julho de 2019 o MME havia definido uma redução dos limites de carga, que eram de 3.000kW para 2.500kW, entrando em vigor em 1º de julho de 2019. Também ficou definido que a partir de 1º de janeiro de 2020, este limite cairia para 2.000kW.

Até 31 de janeiro de 2022, deverão ser realizados estudos sobre as regularidades para permitir a abertura do mercado livre de energia para consumidores de carga até 500kW.

Entrevista com o inventor da IoRE – Internet de Energia Renovável

DESENVOLVIDA PELO PESQUISADOR E FUNDADOR DA COSOL, CSABA SULYOK, A IORE IRÁ TRANSFORMAR O SETOR DE ENERGIA, OFERECENDO UM SISTEMA DISTRIBUÍDO, SEGURO, ECONÔMICO E SEM INTERMEDIÁRIOS. 

A IORE É UM PROJETO DE INOVAÇÃO PREMIADO DA COSOL QUAL O INVENTOR EXPLICA NA ENTREVISTA A SEGUIR.

Comissão de Meio Ambiente (CMA) aprova financiamento do FGTS para empresas que utilizam energia solar

Comissão de Meio Ambiente aprova o financiamento com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para empresas que utilizam energia solar. Este avanço está previsto no Projeto de Lei do Senado (PLS) 524/2018, nesta quarta-feira (10).

renewable-1989416_1280.jpg

O Projeto de Lei do Senado (PLS) determina a aplicação de pelo menos 1% dos recursos do FGTS para financiamento de projetos de energia solar. A proposta altera a Lei nº 8.036, de 1990.

A proposta atinge fundações, ONGs, associações, entidades religiosas, partidos políticos, sociedades e empresas individuais (Eireli). A decisão segue em acordo dos compromissos assumidos pelo Brasil no Acordo de Paris, que trata sobre a presença na matriz energética de 45% de fontes renováveis em 2030.

A matéria está em análise da Comissão de Assuntos Sociais (CAS) onde tomará decisão final.

Fonte: Senado

Fazenda solar é a nova aposta do mercado brasileiro

Fazenda solar é a nova aposta do mercado brasileiro

Desde de 2012 o sistema de compensação de energia elétrica gerada por micro sistemas instalados no telhado de cada residência ou comércio, tem sido alvo de grandes investimentos. A mudança regulatória em 2016 trouxe a opção de cidades verticais vir a também serem beneficiada por este tipo de geração, porém remota.

COSOL lança usina solar espacial inédita no Brasil

COSOL lança usina solar espacial inédita no Brasil

A usina espacial pode produzir, teoricamente, energia em 99% do tempo, 6x mais eficiente comparando a uma usina convencional na terra.

Petrobras investe em painéis solares flexíveis como forma de energia

Petrobras investe em painéis solares flexíveis como forma de energia

Petrobras investe em painéis solares flexíveis como forma de energia

Os investimentos são de R$ 23,77 milhões ao longo de dois anos e meio

A Petrobras vem trabalhando com a perspectiva de ingressar no mercado de produção e comércio de uma moderna geração de painéis fotovoltaicos flexíveis. Para isso, a empresa firmou com o Centro Suíço de Tecnologia e Microtecnologia Brasil (CSEM Brasil), sediado em Minas Gerais, cooperação para desenvolvimento de um composto para produção de células fotovoltaicas impressas e flexíveis. Os investimentos são de R$ 23,77 milhões ao longo de dois anos e meio.